Ivory

Carregando...

Ivory IT

Blog

  • Home »
  • Blog »
  • Estoque de segurança: o que é, por que fazer e como calcular?

Estoque de segurança: o que é, por que fazer e como calcular?

Tecnologia e Inovação - por Fernanda Pinheiro

trabalhador em depósito gerencia estoque de segurança
Ter um estoque mínimo é uma boa forma de se precaver das incertezas do mercado e garantir o atendimento à demanda dos seus consumidores. Descubra o que é estoque de segurança, suas vantagens e desvantagens, porque fazê-lo e como calcular o estoque de segurança ideal!

No mundo dos negócios, a incerteza sempre será um fator de peso. Mas uma forma de se prevenir dos desequilíbrios de oferta e demanda e garantir o atendimento ao seu consumidor é através do estoque de segurança.

Neste texto, você vai entender tudo que precisa saber sobre esse assunto. Continue lendo para descobrir:

O que é estoque de segurança?

O estoque de segurança, ou estoque mínimo, é uma ferramenta logística utilizada para mitigar riscos de stockout, ou quebra de estoque. Assim, armazenando uma quantidade extra de determinado produto, é possível se precaver de incertezas relacionadas à flutuações em oferta e demanda, inerentes ao livre mercado.

Dessa forma, o estoque mínimo de itens estratégicos permite que as operações de negócios de uma empresa ocorram de acordo com o que foi planejado. Caso as vendas sejam maiores do que se imaginava, ou caso os fornecedores tenham problemas de entrega, a empresa não deixará de atender seus clientes.

No ano de 2020, essa situação foi vivida na prática e em todo o planeta. Devido ao choque causado pela pandemia do novo Coronavírus, houve uma interrupção abrupta no fornecimento de diversos insumos críticos para as cadeias produtivas globais. 

Embora essa pausa na fabricação tenha demorado poucas semanas, apenas até que os protocolos sanitários entrassem em vigor, suas consequências perduraram, uma vez que houve um “engavetamento” dos pedidos em ocasião da pausa.

Ainda hoje, as indústrias sentem os impactos dessa interrupção. Um exemplo claro disso está no setor de bebidas, que enfrenta falta de garrafas para armazenar seus produtos. E levará certo tempo até que a capacidade de produção de garrafas possa ser ampliada para suprir essa falta de insumos.

Nesse sentido, uma política de estoque de segurança pode fazer toda a diferença. Pois, uma das situações que o estoque mínimo é extremamente útil é justamente nesse caso, em que os fornecedores são incapazes de atender a demanda.

Então, para evitar uma paralisação da cadeia produtiva, levando a perda de vendas e impedindo o atendimento ao consumidor final, é fundamental que as empresas tenham uma reserva mínima, ou um estoque de segurança, daqueles insumos críticos para sua produção. 

Por que fazer um estoque de segurança?

Antes de entender por que fazer um estoque de segurança, é preciso ter em mente quais são as suas vantagens e desvantagens. E é exatamente isso que a gente vai abordar logo abaixo. Confira!

Quais são as vantagens do estoque mínimo de segurança?

As principais vantagens do estoque mínimo estão ligadas à prevenção de imprevistos e à capacidade de sempre atender a demanda dos seus consumidores, evitando quebras de estoque.

Pois, como foi dito na seção anterior, sempre haverão flutuações e elementos de incerteza no mundo dos negócios. Haverá certos momentos em que o preço dos insumos ficará temporariamente muito elevado, seja por um problema pontual de oferta ou por uma demanda superaquecida.

Dessa forma, ter em mãos um estoque mínimo de itens estratégicos pode aliviar esses custos temporariamente elevados, evitando perdas em sua margem de lucro.

Ainda, caso seus competidores não tenham um estoque de segurança e precisem comprar insumos com preço bastante acima da média, é bem capaz que eles precisem repassar esse preço ao consumidor final.

Ou seja, caso você não tenha que fazer esse reajuste no preço dos seus produtos, poderá fidelizar ainda mais a sua clientela, ou até mesmo conquistar novos consumidores dos seus concorrentes diretos.

Quais são as desvantagens do estoque mínimo?

Mas também existem pontos negativos em manter um estoque de segurança, e o principal deles está relacionado ao custo de armazenamento.

Pois, quanto maior for o seu estoque mínimo, maiores serão os seus gastos com depósitos e armazéns para esses itens. É por isso que, para tentar maximizar a sua margem de lucro, muitas empresas tentam manter seus estoques de segurança no menor nível possível.

Então, se sua empresa possui uma situação financeira menos confortável, ou se está precisando ampliar sua produtividade para se tornar mais competitiva, é extremamente importante evitar custos excessivos com estoque mínimo.

Nesse caso, o único lado negativo é que você se tornará mais exposto às incertezas no fornecimento de insumos. E isso, por sua vez, pode acabar sendo ainda mais custoso para sua empresa do que manter um estoque de segurança mais amplo.

Então quando devo fazer um estoque mínimo de segurança?

Uma boa baliza para entender quando se deve ampliar o seu estoque mínimo de segurança é naqueles momentos em que a previsão de demanda futura está mais ofuscada e incerta.

Assim, se o mercado está volátil demais, como esteve ao longo de 2020, é um bom indício de que vale a pena ampliar o estoque.

Além disso, quando você está prestes a lançar um novo produto no mercado, geralmente é uma boa hora para manter um estoque de segurança maior.

Pois pode levar certo tempo até que sua empresa seja capaz de aferir com precisão a demanda futura para esse novo produto. Dessa forma, ampliar o estoque mínimo assegura que sua empresa poderá atender toda a demanda dos consumidores.

No entanto, o mais importante aqui é encontrar o equilíbrio certo entre risco e prejuízo. Em certas indústrias, por exemplo, caso os produtos sejam armazenados por tempo demais, eles podem estragar, expirar a validade ou até mesmo quebrar.

Por outro lado, um estoque reduzido demais pode levar à perda de vendas e de clientela, então é preciso estar sempre atento e monitorar cuidadosamente os níveis de estoque ideais para o seu negócio.

Confira também: Sistema de monitoramento de frota: o que é, importância, benefícios

Como calcular o estoque de segurança?

Existem diversas metodologias que administradores e gestores utilizam para fazer o cálculo do estoque mínimo. Contudo, neste texto nós vamos abordar um dos modelos mais simples e mais utilizados.

Para calcular o estoque de segurança, você precisará de quatro variáveis. Elas são:

  1. A venda máxima do seu produto em um dia;
  2. A média de vendas do produto por dia;
  3. O prazo máximo para a entrega do produto;
  4. O prazo de entrega, em média, do seu produto;

Então, agora que você já sabe quais são as variáveis, vamos ver como elas são utilizadas na fórmula matemática. Para os mais leigos, ela pode até parecer um pouco complicada, mas garanto que você não terá problemas em entendê-la!

Estoque de Segurança = (Venda máxima X Prazo Máximo) – (Média de Vendas X Prazo Médio)

Exemplo prático de como calcular o estoque mínimo

Assim, para ilustrar a fórmula na prática, vamos fazer uma simulação de como calcular o estoque mínimo. Para este caso, utilizaremos os seguintes valores para as variáveis:

  1. A venda máxima é 100 unidades do produto;
  2. A venda média é 60 unidades do produto;
  3. O prazo máximo é de 40 dias para a entrega do produto;
  4. O prazo médio é de 20 dias;

Pronto, agora vamos jogar essas variáveis na fórmula matemática.

(100 X 40) – (60 x 20); 

(4000) – (1200);  

Estoque de Segurança = 2800.

Ou seja, para esse exemplo, o recomendado é manter em estoque 2800 unidades do produto.

Por fim, é importante lembrar que existem vários métodos diferentes, e alguns deles são bem mais avançados, incluindo na conta fatores como variação da demanda. 

Neste vídeo que segue, você confere um passo a passo de como calcular o estoque de segurança utilizando um método mais avançado.

Confira também:

Cadastre-se para receber as novidades

Enviando...