Ivory

Carregando...

Ivory IT

Blog

  • Home »
  • Blog »
  • Headhunter: o que faz e como se tornar um em 4 passos

Headhunter: o que faz e como se tornar um em 4 passos

Recursos Humanos - por Fernanda Pinheiro

recrutadora executiva headhunter feliz
Ter um headhunter é indispensável para quem busca atrair os melhores talentos disponíveis no mercado de trabalho. Leia o texto para descobrir o que é, e o que faz um headhunter, bem como você pode se tornar um!

Em um mercado de trabalho crescentemente competitivo, ter do seu lado os profissionais do mais alto calibre pode fazer toda a diferença. Mas para conseguir atrair esses talentos raros para o seu time, muitas vezes você precisará contar com a ajuda de um headhunter

Em tradução livre do inglês, o headhunter é um “caçador de cabeças”, um recrutador que trabalha em busca dos profissionais mais bem capacitados do mercado. 

Além de possuir uma robusta agenda de contatos, todo bom headhunter precisa ter um “faro” especial, para conseguir encontrar talentos no meio da multidão. 

Então, se você quer saber mais sobre a profissão do headhunter, está no lugar certo! 

Continue lendo para descobrir: 

Afinal, o que é o headhunter?

Também conhecido como recrutador executivo, o headhunter realiza um tipo de recrutamento e seleção mais personalizado: no geral, as empresas que contratam os seus serviços estão em busca de atrair talentos da mais alta qualificação.

Aliás, é comum que utilizem o termo “executive search” para descrever o trabalho do headhunter. Essa “busca executiva”, traduzindo do inglês, vem do fato de que as posições a serem preenchida costumam ser para cargos executivos, ou de alta importância.

Dessa forma, diferente dos recrutadores comuns, o headhunter possui um trabalho mais de nicho, voltado para atender à demandas mais específicas de recrutamento.

E embora costume ser um indivíduo, o papel do headhunter também pode ser empenhado por uma firma.

Entretanto, para ter sucesso em encontrar essas pessoas excepcionais dentro do conjunto de candidatos possíveis, o headhunter precisa dominar uma série de habilidades.

Agora, vamos entrar entrar um pouco mais em detalhes sobre como trabalha o headhunter, e em quais situações as empresas costumam procurar os seus serviços.

O que faz um headhunter?

Então, só para resumir o que acabamos de dizer, o headhunter atua como um recrutador terceirizado para as empresas, e seu papel pode ser feito por uma pessoa ou uma firma.

Mas para fazer bem seu trabalho, o headhunter, ou recrutador executivo, precisa ter uma excelente noção dos atributos e habilidades que cada vaga requer. 

Afinal, cada empresa tem suas particularidades, sua cultura organizacional e seu jeito de trabalhar — e para escolher o candidato certo, é preciso levar essas questões em consideração.

Além disso, outro item fundamental para o trabalho do headhunter é a sua rede de networking, ou sua agenda de contatos. 

Como falamos, uma das ocasiões em que o serviço de recrutamento executivo se faz necessário é quando a contratação tem caráter de urgência. Nesse caso, não há tempo hábil para criar e filtrar um banco de talentos do zero. 

Por essas e outras razões, todo headhunter precisa investir bastante em seu networking, tanto para conhecer novos talentos quanto para conseguir novas oportunidades.

E embora seja uma tarefa difícil, ele também precisa saber exatamente onde encontrar os melhores profissionais para cada área de atuação. 

Tipos diferentes de profissionais exigem métodos e estratégias diferentes de recrutamento e seleção. Por isso, é comum vermos headhunters se especializarem em certas posições ou áreas de atuação. 

E, por fim, ele precisa ter em mente também como trazer os candidatos preteridos para a empresa contratante. Lembre-se que, na maioria dos casos, os melhores candidatos já estarão empregados e bem remunerados —, e persuadi-los pode se mostrar muito mais difícil do que parece ser.

Quanto ganha um headhunter?

No mercado de headhunters, muitos recrutadores executivos terceirizados são pagos em contingência ou por meta atingida. 

Isto é, só recebem após conseguirem preencher a vaga da empresa contratante com sucesso. 

De acordo com especialistas, a taxa cobrada por headhunters de alto nível costuma variar entre 20% e 30% do salário anual de cada candidato contratado. 

Por exemplo, se a vaga preenchida remunera a 5 mil reais por mês, seu salário anual seria 60 mil reais, e o headhunter receberia, em média, de 12 mil a 18 mil reais por essa contratação.

E não, não é necessário nenhum tipo de licença específica para se tornar um recrutador executivo. Contudo, ter experiência prévia na área de recrutamento e seleção é certamente um importante diferencial para o seu currículo.

Cabe destacar aqui também que, tendo em vista que o headhunter trabalha para a empresa contratante, é natural que ele coloque os interesses da empresa acima dos interesses dos candidatos. 

Entretanto, caso não os atenda bem, a reputação do headhunter entre os talentos pode ser prejudicada, reduzindo a força da sua rede de contatos.

E como posso me tornar um?

Pronto, agora que você já sabe o que é, e o que faz um headhunter, vamos dar alguns dicas para você se aprofundar nesse mundo. Pegue sua agenda e anote o passo a passo!

Como se tornar um headhunter em 4 passos

  1. Amplie sua rede de networking

    A gente já falou sobre a importância do networking no trabalho do recrutador executivo. Contudo, se você deseja se tornar um headhunter, o primeiro passo que você precisa fazer é ampliar a sua rede de contatos.

    Afinal, se você não tiver talentos a um clique de distância, como será capaz de preencher com rapidez e eficácia as vagas das empresas contratantes? E lembre-se: se a empresa não aprovar o seu candidato, você não receberá pelo seu serviço.

    Muitas das posições a serem preenchidas pelo headhunter são cargos de altíssimo escalão, que exigem candidatos preparados e altamente qualificados, e ter acesso a profissionais desse nível não é nada fácil. Daí a importância de ampliar sua rede de networking.

  2. Faça pools de candidatos 

    Os headhunters separam os seus candidatos em pools — em inglês, a palavra pool significa grupo.

    Isso porque posições diferentes exigem candidatos diferentes, e eles são agrupados de acordo com suas similaridades. 

    Então, o headhunter poderia ter, por exemplo, um pool de profissionais jovens e com perfil de startup; um segundo com executivos de carreira, um outro pool específico para desenvolvedores de TI, e assim por diante.

    Dessa forma, é como se você tivesse acesso a diversos bancos de talentos, todos altamente filtrados e bastante específicos à cada tipo de vaga. 

    Aliás, um dos grandes diferenciais entre o recrutador e o recrutador executivo é justamente esse nível de detalhamento, personalização e precisão no processo de recrutamento e seleção.

  3. Invista no seu LinkedIn

    Seja para empregadores ou profissionais, o LinkedIn se tornou uma das principais plataformas de trabalho. Mas no caso dos headhunters, isso é ainda mais verdadeiro.

    Afinal, além de ser um local para encontrar possíveis clientes, é principalmente através do LinkedIn que o recrutador executivo encontra e contata os candidatos, enviando mensagens e fazendo conexões com os profissionais que se encaixarem nos critérios das vagas a serem preenchidas.

    Por isso, investir no seu LinkedIn é fundamental para ampliar sua visibilidade dentro da plataforma e, consequentemente, aumentar a sua rede de contatos.

    E uma maneira simples de conseguir isso é simplesmente utilizando a plataforma no seu dia a dia, interagindo com as postagens das suas conexões e compartilhando suas próprias conquistas e experiências de trabalho.

  4. Não negligencie os candidatos

    Como você deve ter percebido, os contatos dos headhunters são seu principal instrumento de trabalho.

    Dessa forma, agir de forma displicente, negligente ou pouco profissional com os talentos da sua rede pode minar profundamente suas chances de sucesso nessa área de atuação.

    Embora o seu cliente seja, de fato, a empresa contratante, é preciso ter sempre em mente a importância de manter boas relações com todos os profissionais. 

    Então, mesmo que a empresa acabe rejeitando sua escolha final, manter contato e ser atencioso com o candidato pode ser um jeito simples de fortalecer sua rede de contatos como um tudo. 

    Pois lembre-se que o compartilhamento de informações e impressões é comum no mercado de trabalho. Então, ter seu nome circulado de forma positiva entre esses profissionais é fundamental para ampliar ainda mais a sua própria rede de contatos.

E, assim, a gente encerra o nosso texto de hoje! 

Quer continuar descobrindo o mercado de trabalho? Confira conteúdos similares do blog Ivory IT:

Cadastre-se para receber as novidades

Enviando...