Ivory

Carregando...

Ivory IT

Blog

  • Home »
  • Blog »
  • Employer Branding: o que é e como aplicar em uma empresa

Employer Branding: o que é e como aplicar em uma empresa

Recursos Humanos - por Fernanda Pinheiro

employer branding elevar reputação marca empregadora e atrair novos talentos
Ter uma marca empregadora forte pode ser o diferencial para atrair (e manter) os maiores talentos do mercado. Descubra o que é employer branding e como aplicá-lo em sua empresa.

Você já ouviu falar em employer branding? O employer branding, que pode ser traduzido como “marca empregadora”, é uma das principais pontes entre a sua empresa e o mercado de trabalho.

Embora seja um termo em inglês, ele já tem circulado por empresas brasileiras há anos, com muitas já sentindo os benefícios da iniciativa: fortalecer a sua reputação de marca empregadora é capaz de estimular o vigor e a satisfação dos seus colaboradores, bem como atrair a mão-de-obra qualificada disponível no mercado. 

Quer entender como tudo isso funciona na prática e qual a melhor forma de aplicar na sua empresa? Continue com a gente e descubra tudo que precisa saber sobre employer branding!

O que é employer branding?

O employer branding pode ser definido como a imagem pública de uma empresa diante de seus colaboradores e os profissionais do mercado. Essa imagem de marca empregadora atravessa diversos aspectos, desde a reputação da empresa como sendo um bom lugar para se trabalhar, até as ações de marketing interno que implementa e a cultura organizacional que ela estimula.

Toda empresa quer atrair os melhores colaboradores disponíveis e esses, por sua vez, também querem ser alocados nas melhores empresas. O employer branding é, portanto, uma peça fundamental para ganhar uma identidade própria, se destacar da concorrência e conseguir atrair os maiores talentos do mercado para o seu time.

É importante ressaltar que os profissionais de hoje e do futuro, membros das gerações Y e Z, possuem uma apreciação cada vez maior por tempo de qualidade. Eles estão mais do que dispostos a fazerem sacrifícios, inclusive financeiros, para terem uma experiência de vida e de trabalho mais agradável e satisfatória – para muitos deles, a jornada é mais importante do que o destino. 

Uma empresa sem um employer branding fortalecido pode até ser capaz de atrair grandes talentos com essa mentalidade em um momento inicial. Mas se ela não conseguir oferecer uma boa experiência de trabalho aos seus colaboradores, não tenha dúvidas de que esses profissionais estarão alçando vôos maiores muito em breve.

A remuneração, claro, sempre será um aspecto importante, mas a perspectiva do candidato sobre sua rotina de trabalho e o ambiente profissional da empresa podem empenhar um papel muito mais relevante na hora dele decidir ou não por uma vaga.

Em outras palavras, para atrair – e manter – os melhores profissionais, será necessário um esforço grande para construir o seu employer branding, a sua reputação de marca empregadora.

Por que o employer branding é importante?

Como falamos anteriormente, o employer branding é a imagem pública de uma empresa como marca empregadora. Ter uma boa reputação é essencial para atrair novos talentos de excelência, mas ter uma marca empregadora forte é importante para manter um alto grau de satisfação no seu time atual de colaboradores, também.

Uma empresa que é mal vista no mercado, seja porque foi alvo de escândalos ou porque não oferece uma experiência agradável e recompensadora de trabalho, poderá ser vítima de um turnover elevado. Com isso, o time nunca terá o tempo necessário para criar coesão, pois estará sempre sofrendo desfalques e tendo que realizar novos processos seletivos. 

Com um alto nível de turnover, eventualmente o desempenho da equipe começará a sofrer. E isso pode levar a uma insatisfação generalizada por parte dos seus clientes. 

Além de evitar esse turnover demasiadamente elevado, o employer branding também é fundamental para uma outra questão extremamente relevante: a escassez de capital humano de altíssima qualidade.

No final do século passado, no Japão, as empresas tentavam atrair estudantes no último ano de graduação da faculdade com diversos tipos de amenidades. Eram coisas como viagens para resorts livre de custos, promessas de participações acionárias e bonificações exorbitantes para colaboradores que sequer estavam formados.

Isso acontecia porque a massa de trabalho japonesa já estava quase inteiramente empregada, portanto havia uma disputa enorme para atrair os novos talentos assim que eles concluíssem seus estudos.

Embora a situação do desemprego no Brasil seja bem diferente desse cenário descrito acima, a demanda por mão de obra qualificada permanece altíssima. De acordo com uma pesquisa recente da CNI, 50% das indústrias brasileiras afirmam enfrentar dificuldades para contratar profissionais de alto nível.

Isso ocorre por dois motivos. O primeiro é a falta de pessoas especializadas em setores que exigem maior adensamento tecnológico. E o segundo motivo é a fuga de cérebros, fenômeno em que pessoas com altíssima qualificação profissional abandonam em massa o país em busca de melhores condições de vida. Aqui, no Brasil, a fuga de cérebros teve início lá em 2015, quando se iniciou a crise econômica, e ainda perdura.

Se uma empresa do Brasil quer contratar os melhores colaboradores disponíveis no mercado, ela terá que disputar com o restante do mundo, que abriu os braços para os talentos nacionais. E para isso, ela terá que investir pesadamente em employer branding. 

Por fim, não podemos deixar de mencionar os benefícios que ações de employer branding voltadas para o marketing interno possuem sobre uma equipe de trabalho. Você provavelmente já ouviu falar da expressão “vestir a camisa da empresa”, não é mesmo?

Pois bem, o employer branding também atua nesse sentido de estimular os colaboradores a se sentirem parte de algo maior. Essa sensação de união e de ter um propósito maior pode agir como grande motivador para os funcionários, com externalidades positivas para sua satisfação com o emprego e sua produtividade.

Como aplicar o employer branding?

O primeiro passo para dar um upgrade no employer branding de sua empresa é evitar a “propaganda enganosa”. De nada adianta vender ações e atitudes que não são, de fato, concretas. Esse tipo de falsa imagem causa frustração nos seus colaboradores, que podem se sentir enganados, aumentando a taxa de turnover.

Por isso, se você quiser ter sucesso na sua estratégia de employer branding, você precisa investir seriamente em marketing interno e na cultura da sua organização. Se sua empresa já possui missão, visão e valores claros e bem definidos, agora é a hora de colocá-los em prática de vez.

A empresa precisa sempre trabalhar para atingir suas metas e objetivos A cultura organizacional precisa ser estimulada e aprimorada diariamente, em especial pelos líderes e gestores da empresa. São eles, junto ao RH, os maiores responsáveis por liderar esse esforço dentro das empresas.

O segundo passo mais importante para levar o seu employer branding ao próximo nível é identificar o perfil do público-alvo que você deseja atrair. A imagem de marca empregadora que vocês querem se associar vai depender bastante do perfil de vaga que vocês desejam preencher.

Lembra do exemplo das empresas japonesas, que financiavam benesses para estudantes prestes a se graduarem? Essa é uma maneira custosa de atrair profissionais jovens, mas existem muitas outras. 

Você pode criar um programa de trainee, focado em jovens nos últimos anos de graduação ou recém-formados. Pode fazer parcerias com universidades para conceder vagas de estágio e bolsas de estudos para estudantes. Ou pode ainda fazer parcerias com empresas juniores (EJs), que são empresas criadas por estudantes e administradas dentro das próprias faculdades.

Se o objetivo for atrair profissionais de TI, por exemplo, uma boa ideia é sediar ou incentivar eventos que façam parte desse universo, como hackatons. Dessa forma, a sua empresa se associa à conceitos bem-quistos por profissionais do ramo, que certamente lembrarão disso quando forem procurar uma vaga no mercado.

Uma boa comunicação faz toda a diferença

A sua imagem pública como marca empregadora precisa ser bem administrada, é uma reputação fundamental que sua empresa tem a zelar. Nesse sentido, não podemos subestimar o impacto que uma comunicação bem-feita pode ter sobre o seu employer branding. 

Na hora de criar a comunicação do seu employer branding, tenha em mente duas questões importantes: os canais de divulgação e a personalização do discurso.

Estimule seus diferentes canais de divulgação

No geral, os principais canais para as marcas empregadoras são as redes sociais, com uma ênfase maior no LinkedIn. Busque evidenciar nas redes da empresas os eventos internos, as premiações, os projetos em destaques e os cases de sucesso do seu time. Tudo isso desempenha um papel importante de trazer à tona a cultura organizacional, além de ser uma forma de valorizar publicamente os colaboradores da empresa.

Outro canal importante é a página de carreiras do seu site. A página de carreiras costuma atrair aqueles profissionais que já conhecem a sua empresa de nome ou que já têm uma boa impressão a respeito. É uma fonte riquíssima de talentos, então se você ainda não tem uma página de carreiras no site, talvez seja a hora de fazê-la.

Tenha personalidade na hora de se comunicar

Por fim, personalizar a sua comunicação é uma forma simples e poderosa de ganhar uma identidade única. Você pode personalizar a sua comunicação por tipo de vaga ou por tipo de departamento, utilizando uma linguagem mais jovem ou mais carregada em gírias da internet para divulgar um job em social media, por exemplo.

A ideia aqui é tentar entrar em contato com o público-alvo da vaga que você deseja preencher usando uma linguagem que seja confortável para eles. Com isso, você se certifica de que sua mensagem será bem recebida pela audiência em questão e será capaz de atrair um talento da área.  

Mas lembre-se: fortalecer a sua marca empregadora é um trabalho diário e constante, portanto é natural que os resultados das suas ações levem certo tempo até aparecerem.

Assim, encerramos aqui o nosso texto sobre “Employer Branding: o que é e como aplicar em uma empresa”. Agora que você já sabe tudo sobre employer branding e como aplicar em sua empresa, é hora de colocar tudo o que você aprendeu em ação! 

Confira também: 

Cadastre-se para receber as novidades

Enviando...